Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unichristus.edu.br/jspui/handle/123456789/1237
Title: Análise antropométrica facial em crianças portadoras de microcefalia decorrentes da síndrome congênita do Zika vírus em uma população brasileira
Authors: BARBOSA, Dhaniel Anderson Olímpio
metadata.dc.contributor.advisor: ALENCAR, Phillipe Barbosa Nogueira
Issue Date: 2021
Citation: BARBOSA, Dhaniel Anderson Olímpio. Análise antropométrica facial em crianças portadoras de microcefalia decorrentes da síndrome congênita do Zika vírus em uma população brasileira. 2021. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Ciências Odontológica) – Centro Universitário Christus, Fortaleza, 2021.
Abstract: O objetivo desse trabalho foi realizar uma análise antropométrica e facial de crianças portadoras de microcefalia congênita por zika. Foram selecionadas 12 crianças portadoras da síndrome (grupo experimental) e 15 crianças normossistêmicas (grupo controle), da mesma faixa etária, entre 4 e 5 anos. Anamnese e exame clínico da face foram realizados. Os 8 pontos antropométricos: cheilion, trichion, estomio, gnation, subnasal, ponto do lábio superior, glabela e canto externo do olho (lados direito e esquerdo) faciais foram marcados no rosto das crianças com a finalidade de medir e avaliar as regiões de: terços superior, médio e inferior da face; altura do filtro; alturas dos lábios superior e inferior; distância do canto externo do olho ao cheilion (lado direito do rosto) e distância do canto externo do olho ao cheilion (lado esquerdo do rosto). O instrumento utilizado para realização das medidas foi o paquímetro digital. Uma média aritmética das medidas encontradas foi calculada. Foi utilizado o teste de normalidade Kolmogorov-Smirnov para avaliar a normalidade dos dados e os testes t de Student (dados paramétricos) ou Mann-Whitney (dados não-paramétricos) para comparar os grupos, adotando uma confiança de 95%. Quanto à relação entre as medidas antropométricas orofaciais, em ambos os grupos se verificou que as medidas do lábio superior e da razão do lábio superior e inferior foram maiores no grupo experimental que no grupo controle, gerando um valor significativo p<0,05. Conclui-se que as crianças do grupo experimental possuem uma tendência de apresentar um lábio superior maior, quando comparado ao lábio superior das crianças do grupo controle. O terço inferior das crianças com microcefalia apresenta-se também maior, quando comparado com o grupo controle.
Keywords: zika vírus
antropometria
face
URI: https://repositorio.unichristus.edu.br/jspui/handle/123456789/1237
Appears in Collections:Mestrado Acadêmico em Ciências Odontológicas - Dissertações Defendidas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DHANIEL ANDERSON OLIMPIO BARBOSA.pdf910.1 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.