Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unichristus.edu.br/jspui/handle/123456789/740
Title: Efeito da matriz de colágeno Mucograft® em defeito semi-crítico mandibular de ratos submetidos a modelo experimental de Osteonecrose Maxilar induzida pelo uso de Bisfosfonatos
Authors: VASCONCELOS, Vanessa de
AVELAR, Rafael Linard
Keywords: Bisfosfonatos
Ácido Zoledrônico
Alendronato
Osteonecrose
Osteonecrose induzida pelo uso de Bisfosfonato
Matriz de colágeno
Mucograft®
Issue Date: 2019
Citation: ABNT
Abstract: Introdução: Os Bisfosfonatos são drogas de primeira escolha para tratar doenças que acometem o metabolismo ósseo, podendo serem administrados por via oral como o Alendronato (ALD), fármaco de escolha no tratamento da osteoporose avançada, bem como por via endovenosa, como o Ácido Zoledronico (AZ), para tratamento e prevenção de metástases ósseas. Diversos modelos experimentais em ratos têm sido desenvolvidos tendo como fator desencadeador a exodontia, o que dificulta o estudo da aplicação de matrizes teciduais no seu tratamento, devido ao tamanho reduzido do alvéolo dentário desses animais. Não se conhece o comportamento da Osteonecrose dos Maxilares induzida pelo uso de Bisfosfonatos (OMB) frente à procedimentos cirúrgicos maiores, nem como matrizes teciduais são capazes de controlar essa condição no complexo maxilo-facial e nem como matrizes de colágeno podem interferir na sua patogênese. Objetivo: Avaliar o efeito de uma matriz de colágeno (Mucograft®) na patogênese da OMB em defeito crítico no ramo mandibular de ratos. Materiais e métodos: Para isso, foram utilizados 18 ratos machos da linhagem Wistar tratados com gavagem e administração via endovenosa (e.v.), veia dorsal peniana com volume de 0,1ml/kg divididos em 3 grupos mediante fármacos: um grupo controle (GC) tratado com solução salina por gavagem e e.v, um grupo tratado com gavagem de Alendronato 5mg/kg (GA) e administração e.v. de solução Salina e um grupo tratado com Ácido Zoledrônico 0,2mg/kg (AZ) e.v. e gavagem de solução salina (GZ). As gavagens foram realizadas semanalmente e as administrações venosas seguiram protocolo previamente descrito na literatura: AZ nos dias 0, 7 e 14, solução salina nos dias 21, 28, 35 e 42, AZ no dia 49 e solução salina nos dias 56 e 63. O procedimento cirúrgico ocorreu no dia 42, no qual, após anestesia com xilazina (20mg/kg) e quentamina (80mg/kg), foi feita tricotomia do ramo da mandíbula dos animais bilateralmente, afastamento do masseter e confecção de defeito semicrítico circular utilizando Broca Lança Neodent® 2 mm de diâmetro com 1100 rpm. Os defeitos do lado direito foram preenchidos por coágulo autógeno e fragmento de mesmo diâmetro da matriz de colágeno Mucograft® (lado Mucograft®) e os defeitos do lado esquerdo foram preenchidos apenas por coágulo autógeno (lado controle). Após sutura, os animais seguiram no protocolo experimental e foram eutanasiados após 70 dias do início do experimento (28 dias após procedimento cirúrgico). As hemimandíbulas foram removidas cirurgicamente, acondicionadas em formol neutro 10%, radiografadas utilizando um aparelho de RX (DabiAtlante® Spectro 70X Seletronic) acoplado a um sistema de captura de imagem (Digora Instrumentarium Express) e posteriormente foram submetidos a descalcificação com EDTA 10% pH 7,4 por 60 dias com trocas a cada 10 dias. Após a descalcificação, foram confeccionadas lâminas coradas por hematoxilina eosina para descrição histológica. Resultados: Pode-se observar área no GC área radiolúcida difusa com bordos bem definidos no lado controle e total reparo tecidual no lado Mucograft®. No GA, em ambos os lados pôde-se observar lesão radiolúcida de bordos irregulares no ramo da mandíbula, apresentando menor dimensão no lado Mucograft®. No GZ em ambos os lados pôde-se observar lesão radiolúcida de bordos irregulares, no entanto, discreta área de neoformação óssea nas bordas da lesão. Histologicamente, os resultados foram similares, com total neoformação óssea no GC tratado com Mucograft® em comparação ao lado controle que apresentava discreto infiltrado inflamatório e defeito ainda aberto. No GA e no GZ intenso infiltrado inflamatório foi observado nos lados controle associado a retardo de reparo ósseo e tecido ósseo desvitalizado, respectivamente. No lado Mucrograf® discreto infiltrado inflamatório associado igualmente a retardo de reparo ósseo e tecido ósseo desvitalizado, respectivamente pôde ser observado. Conclusão: O uso da matriz de colágeno Mucograft® acelerou o reparo ósseo no GC e reduziu sinais imaginológicos de OMB nos grupos GA e GZ, sem interferir no retardo do reparo ósseo e na OMB, respectivamente.
URI: https://repositorio.unichristus.edu.br/jspui/handle/123456789/740
Appears in Collections:Mestrado Acadêmico em Ciências Odontológicas - Dissertações Defendidas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
VANESSA DE VASCONCELOS.pdf1,67 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.