Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unichristus.edu.br/jspui/handle/123456789/959
Title: Modelo de treinamento por meio de simulação realística em hernioplastia inguinal laparoscópica
Authors: MELO FILHO, Luis Pires de
metadata.dc.contributor.advisor: BORGES, Gleydson Cesar de Oliveira
BARROS FILHO, Edgar Marçal de
Issue Date: 2019
Citation: MELO FILHO, Luís Pires de. Modelo de treinamento por meio de simulação realística em hernioplastia inguinal laparoscópica. 2019. Dissertação (Mestrado Profissional em Tecnologia Minimamente Invasiva e Simulação na Área da Saúde) – Centro Universitário Christus, Fortaleza, 2019.
Abstract: um ambiente seguro e eficiente para adquirir as habilidades cirúrgicas desejadas. O objetivo foi a construção de um modelo três dimensões (3D) que simulasse a correção de uma hérnia inguinal direta direita pela técnica transabdominal extra peritoneal (TAPP) norteado por um currículo redigido sistematizando a técnica. O modelo 3D reproduzia as características anatômicas de uma hemipelve masculina direita com uma hérnia inguinal direta e foi impresso em uma impressora 3D. Foram selecionados 18 participantes, divididos em três grupos que foram denominados: grupo experimental (GE) contendo cirurgiões em formação a partir do segundo ano da residência em cirurgia geral, grupo controle (GC) composto por cirurgiões experientes e grupo shaw (GS) caracterizado por cirurgiões não experientes. Cada grupo realizou sessões de simulações utilizando o modelo 3D e seguindo o currículo sistematizado. As simulações foram gravadas e posteriormente, analisadas pelo pesquisador que atribui uma pontuação a cada participante de acordo com a acurácia da técnica que realizava em cada uma das cinco etapas de cada uma das 6 sessões. Foi observado como resultado que na 1ª etapa o cirurgião em formação obteve a média de 1,25±0,42 na 1ª sessão e 3,25±0,62 na 6ª sessão (p = 0,05) na abertura do peritônio com a criação do espaço pré-peritoneal, 2ª etapa 1,08±0,67 na 1ª sessão e 2,58±0,51 na 6ª sessão (p = 0,019) na identificação das estruturas, 3ª etapa 1,00±0,43 na 1ª sessão e 2,08±0,29 na 6ª sessão (p = 0,04) na identificação e redução da hérnia, 4ª etapa 1,08±0,67 na 1ª sessão e 2,92±0,29 na 6ª sessão (p = 0,001) na aposição e fixação da tela, 5ª etapa 0,91±0,29 na 1ª sessão e 1,91±0,29 na 6ª sessão (p = 0,001) no fechamento do peritônio, não demonstrando diferença significativa entre os três grupos em cada etapa. A curva de aprendizado e habilidade foi demonstrada no grupo dos cirurgiões em formação representando 1,08±0,29 na 1ª sessão e 3,50±0,90 na 6ª sessão (p = 0,001). Acredita-se que isso pode implicar em um impacto positivo e determinante na formação laparoscópica do cirurgião para realização de hernioplastia inguinal. A criação de uma sistematização de treinamento em simulação possibilitou ganho em habilidades laparoscópicas e alicerçou seus fundamentos teórico-práticos.
Keywords: Hérnia inguinal
Laparoscopia
Simulação
Treinamento por simulação
Educação em saúde
Impressão tridimensional
URI: https://repositorio.unichristus.edu.br/jspui/handle/123456789/959
Appears in Collections:Mestrado Profissional em Tecnologia Minimamente Invasiva e Simulação na Área da Saúde - Dissertações Defendidas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
LUIS PIRES DE MELO FILHO.pdf3.16 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.