Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unichristus.edu.br/jspui/handle/123456789/619
Title: Modelo de Ensino por meio de Simulador de Cavidade Abdominal para Progressão de Habilidades em Endossuturas Videolaparoscópicas
Authors: FERREIRA FILHO, Francisco
metadata.dc.contributor.advisor: MOURA JÚNIOR, Luiz Gonzaga de
Issue Date: 2016
Citation: FERREIRA FILHO, Francisco. Modelo de Ensino por meio de Simulador de Cavidade Abdominal para Progressão de Habilidades em Endossuturas Videolaparoscópicas. 2016.Dissertação (Mestrado Profissional em Tecnologia Minimamente Invasiva e Simulação na Área da Saúde) - Centro Universitário Christus, Fortaleza, 2016.
Abstract: Introdução: Tarefas laparoscópicas complexas, como suturas e nós intracorpóreos, demandam um alto nível de habilidade técnica, exigindo dos cirurgiões treinamento específico para sua prática de forma eficiente e segura. Evidências demonstram que as habilidades psicomotoras devem ser adquiridas fora da sala de cirurgia. A simulação realística surge como uma ferramenta acessível, segura, controlada e estandardizada em vídeo cirurgia, tendo como objetivo a transferência da curva de aprendizado para um ambiente que preceda a sala de operação. Método: O trabalho foi dividido em duas etapas. A primeira foi o desenvolvimento de um modelo de ensino que utiliza simuladores de cavidade abdominal para aquisição de proficiência em endossuturas videolaparoscópicas. A segunda etapa foi um estudo que avaliou a progressão das habilidades de residentes de cirurgia para execução de endossutura composta por 06 pontos com 05 nós ajustados, a partir da utilização do modelo proposto, em duas sessões semanais de treinamento no simulador, sob supervisão de instrutor. Participaram do estudo 10 residentes de primeiro ano, 10 de segundo ano e 10 cirurgiões seniors. Os dois grupos de residentes receberam a intervenção. Os cirurgiões realizaram a endossutura sem receber a intervenção. Foram realizadas tarefas para aquisição de habilidades no manuseio de pinças laparoscópicas, estereotaxia, triangulação, efeito fulcral, ambidestria, hapticidade, passada de alças, passada de fio, nós ajustados e endossuturas videolaparoscópicas. A competência dos residentes na execução das endossuturas foi avaliada de forma longitudinal. O estudo delineou as curvas de aprendizado das variáveis tempo de confecção da sutura, quantidade de pontos em 18 minutos, distância entre pontos de 5 a 7 mm, margem tecidual dos pontos de 4 a 5 mm, simetria das bordas e tensão dos pontos. O treinamento foi encerrado quando os residentes realizaram a tarefa em até 18 minutos. Resultados: Todos os critérios avaliados apresentaram evolução favorável dos residentes ao longo dos testes (p<0,001). Houve um aumento progressivo do total de pontos feitos em 18 minutos, bem como uma redução progressiva do tempo de confecção de sutura nos dois grupos de residentes (p< 0,001). Após 04 sessões de 02 horas de treinamento, 100% dos residentes (n=20) realizaram endossuturas com distância entre os pontos, margem, simetria e tensão adequadas tecnicamente (p<0,001). Após o quinto teste, a diferença entre os grupos de residentes perdeu significância (p<0,001). Todos os residentes (n=20) realizaram a endossutura tecnicamente adequada e em um tempo igual ou inferior a 18 minutos após o sétimo teste. Ao se avaliar o último teste, observou-se que não houve diferença de desempenho entre os 03 grupos. Os residentes de cirurgia adquiriram proficiência na realização de endossuturas em até 16 horas de treinamento no laboratório de habilidades cirúrgicas (p= 0,012). Conclusão: O modelo de treinamento desenvolvido, utilizando simuladores de cavidade abdominal em laboratórios de habilidades cirúrgicas (LHC), permite avaliar e melhorar a competência de residentes de cirurgia na confecção de endossuturas videolaparoscópicas.
Description: Introduction: Complex laparoscopic tasks, such as sutures and intracorporeal surgical knots, require a high level of technical ability, requiring surgeons to provide specific training for their practice in an efficient and safe manner. Evidence shows that psychomotor skills must be acquired outside the operating room. Realistic simulation emerges as an accessible, safe, controlled and standardized video surgery tool, aiming to transfer the learning curve to an environment that precedes the operating room. Method: The work was divided into two steps. The first was the development of a teaching model that uses abdominal cavity simulators to acquire proficiency in videolaparoscopic endosutures. The second stage was a study that evaluated the progression of the skills of residents of surgery to perform endosuture composed by 06 points with 05 adjusted knots, from the use of the proposed model, in two weekly sessions of training in the simulator, under the supervision of instructor . Ten first-year residents of surgery, 10 second year and 10 senior surgeons participated in the study. Both groups of residents received the intervention. Surgeons performed the endosuture without receiving the intervention. Tasks were performed to acquire skills in the manipulation of laparoscopic tweezers, stereotaxy, triangulation, fulcral effect, ambidexterity, hapticity, gait, loop, nodes, and videolaparoscopic endosutures. The residents' competence in the execution of the tasks was evaluated longitudinally. The study outlined the learning curves of the variables suture time, number of stitches in 18 minutes, distance between stitches of 5 to 7 mm, tissue margin of stitches of 4 to 5 mm, border symmetry and stitch tension. Training was terminated when residents completed the task within 18 minutes. Results: All the evaluated criteria presented favorable evolution of the residents throughout the tests (p <0.001). There was a progressive increase in the total of stitches made in 18 minutes, as well as a progressive reduction of the suture time in the two resident groups (p <0.001). After 04 sessions of 02 hours of training, 100% of the residents (n = 20) performed endosutures with technically adequate distance between points, margin, symmetry and tension (p <0.001). After the fifth test, the difference between groups of residents lost significance (p <0.001). All residents (n = 20) underwent the technically adequate endorsement and in a time equal to or less than 18 minutes after the seventh test. When evaluating the last test, it was observed that there was no difference in performance among the 03 groups. Surgery residents acquired proficiency in endosutures in up to 16 hours of training in the laboratory of surgical skills (p = 0.012). Conclusion: The training model developed, using abdominal cavity simulators in surgical skills (LHC), allows to evaluate and improve the competence of surgical residents in the performing of videolaparoscopic endosutures.
Keywords: Laparoscopia
Aprendizado
Cirurgia Minimamente Invasiva
Endossuturas
Simulação
Treinamento
URI: http://repositorio.unichristus.edu.br/jspui/handle/123456789/619
Appears in Collections:Mestrado Profissional em Tecnologia Minimamente Invasiva e Simulação na Área da Saúde - Dissertações Defendidas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
FRANCISCO FERREIRA FILHO.pdf2,98 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.